Brasília, 01 de Outubro de 2022 - 9:20

ANÚNCIO DA VOLKSWAGEM PARA O POLO É ALVO DE HOMOFOBIA; PROFESSOR DA ESPM CRITICA POLARIZAÇÃO

Essa semana, ganhou destaque e muita discussão um post da Volkswagen sobre o novo modelo do Polo.

A ação da montadora traz como protagonista um casal gay, de homens, que já tinha aparecido em 2021 para promover o mesmo automóvel. Foi criada pela AlmapBBDO. A legenda diz: “Sabe o que evoluiu junto com você? O Polo. O que já era bom ficou ainda melhor, com muito mais segurança e tecnologia. Você acessa seu veículo sem o uso de chaves, aproveita a transmissão automática de 6 velocidades e se conecta com tudo pelo VW Play”.

A montadora recebeu milhares de comentários, vários deles homofóbicos, principalmente de pessoas que se dizem fiéis à maca VW há muito tempo. Muitas críticas foram direcionadas à estratégia de marketing da montadora e uma chuva de intolerância, depois que um vídeo sobre o casal foi divulgada em redes sociais.

Em nota, a Volkswagen afirmou que não pretende retirar a campanha do ar. Explicou que a Diversidade & Inclusão é um dos pilares estratégicos da marca. “Temos como responsabilidade continuar aprendendo de que forma podemos contribuir para a luta contra qualquer forma de preconceito, pois consideramos fundamental conciliar as diferenças para a construção de uma sociedade justa para todos”, diz a nota.

“A diferença enriquece, o respeito une. A Volkswagen do Brasil celebra a diversidade sexual. A premissa da marca é garantir um comportamento respeitoso e inclusivo, dentro e fora da empresa, com parceiros diretos ou indiretos de negócios”, continua a nota da VW.

Para o professor Evandro Luiz Lopes, do Mestrado Profissional em Comportamento do Consumidor da ESPM, as propagandas disruptivas  estão se tornando cada vez mais frequentes e vem avançando no mercado. “Acredito que a rejeição se dá pelo perfil do público consumidor que a marca Volkswagem construiu ao longo dos anos. Uma marca alemã, que embutiu em sua história uma cultura mais austera, baseada em conceitos de masculinidade, com viés de virilidade, dominância e potência. Usando, muitas vezes, elementos que contribuem para reforçar estereótipos do “masculino”.

Segundo ele, “do ponto de vista de alinhamento social, a mudança de conceito está perfeita, pois está totalmente alinhada ao que se espera de uma marca em diversidade de funcionários e públicos, bem como apoio a causas com um marketing de causa muito bem posicionado”.  Lopes acrescenta” Teremos uma polarização: a sociedade aplaudindo e parte dos consumidores se sentindo ofendidos”. 

Tags

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Assuntos Relacionados