Brasília, 28 de Maio de 2022 - 21:17

ADEUS, TAMAQUARA FERREIRA

Amigo de todos e incapaz de qualquer demonstração de desafeto, agindo com empatia em suas relações pessoais e profissional, compreendendo amigos e colaboradores sobre sua batuta. Era um patrimônio de suavidade, respeito e competência. Assim viveu Tamaquara Ferreira.

Durante o cumprimento dos meus mandatos como presidente do Sindicato dos Publicitários de Brasília, Ferreira teve um papel importante no exercício do cargo de Diretor Financeiro. Sempre agindo com uma conduta ética, praticou a lealdade, responsabilidade, honestidade e respeito.

Prestou seus serviços como Gerente Administrativo e Financeiro em agências de publicidade, trabalhando prazerosamente em equipe o que permitia a cooperação entre seus colaboradores e, de maneira ágil, concluía as tarefas do dia a dia. Conversávamos muito sobre esse aspecto.

Algumas passagens vividas comigo e com amigos. Ferreira tinha um problema de anatomia: seu coração era maior que o seu corpo. Muito humano e caridoso, aconselhava amigos a engraxar sapatos somente nas ruas de Brasília, porque certamente estaria ajudando alguém a alimentar uma família.

Sempre elegante com seus ternos feitos pelo seu alfaiate, Tamaquara Ferreira não deixava por menos quando observava que o Setor Comercial Sul estava precisando de uma boa faxina, “para não empoeirar” seus ternos. Para ele camisa tinha que ter o colarinho muito bem passado e, de preferência engomado e de cor branca e acompanhada por uma bela gravata.

Por falar em gravata Ferreira me causou um probleminha. Quando eu comprava uma gravata ou queria fazer outro nó em gravatas, ligava para ele convidando para almoçar. Do outro lado da linha ele me perguntava: quantas gravatas presidente? (sempre me tratou assim). Ele vinha ao meu encontro e dava um nó caprichado e íamos almoçar. Até hoje não aprendi a dar nó em gravatas.

Foi espirita e toda sexta-feira, não importava o tempo com sol, nublado, chuvoso o Tamaquara Ferreira vestia-se de branco e andava por onde tivesse que ir, mostrando claramente o seu respeito e homenagens aos seus santos.

Parte da minha vida profissional como Publicitário, Jornalista e Líder Sindical está ligada ao amigo que partiu. Fica a saudade e o vazio de um espaço deixado por um desenhista de vida humana, um profissional exemplar, um amigo fiel. E todas as vezes que eu for usar uma gravata com um belo nó lembrarei dele.

Gaúcho nascido na Cidade Rio Grande em 15 de março de 1938, Ferreira faleceu ontem 19/01 as 20:00hs no Hospital Regional de Taguatinga – DF. O corpo de Tamaquara Ferreira será velado amanhã 22/01, das 15:00hs às 16:30hs no Campo da Esperança – Asa Sul – Brasília – DF, no Templo Ecumênico 2.

Tamaquara vai deixar saudades aos seus amigos que ficam, resta-me em nome dos seus amigos, pedir ao Pai que receba com amor, carinho e conforte seus familiares.

Tags

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Assuntos Relacionados