Brasília, 26 de Maio de 2022 - 20:37

OITO MITOS E SETE VERDADES SOBRE O QUE É E NÃO É INOVAÇÃO

Descubra quais conceitos podem estar equivocados e quais são os insights capazes de transformar seu negócio

Mary Ballesta*

A inovação é a capacidade de novas lógicas e repensar tudo o que a organização faz para alcançar mais competitividade, adaptabilidade e valor na era digital. Esse é um tema que ganhou destaque no mundo dos negócios há um tempo, mas que ainda gera algumas dúvidas sobre seu conceito e a melhor forma de colocá-lo em prática.

E para desmistificar esse assunto que tem infinitas abordagens, trago oito mitos e sete verdades sobre inovação.
Entre os mitos, podemos elencar:
1 – Tudo que é novo é inovação
Sempre foi um paradigma da inovação pensar que coisas novas são inovadoras. Não necessariamente. A inovação requer atributos importantes: ela tem que solucionar algum tema que não conseguimos resolver até o momento, possui um componente de novidade, mas não se resume apenas a isso. A inovação é definitivamente um olhar para trazer ao presente um movimento que aponte para um futuro com um valor que ninguém mais conquistou ou propiciou.
2 – Inovação só pode ser feita por grandes empresas
Inovar tem a ver com gerar valor para as pessoas e suas necessidades, sejam elas relacionadas a clientes, stakeholders ou colaboradores. Esse objetivo não é só para grandes empresas, uma vez que qualquer negócio é capaz de criar práticas inovadoras que propiciem condições para gerar alto desempenho e valor em serviços, produtos e operações. Não é o tamanho da organização que dirá se é possível ser inovadora ou não, mas, sim, suas buscas constantes em se adaptar ao contexto que muda, conseguindo não apenas olhar para o curto prazo, mas também perpetuar valor no longo prazo.
3 – Inovação depende de um departamento ou uma pessoa específica
A inovação nas empresas não pode estar apenas circunscrita ao escopo de uma área de inovação ou de um laboratório. Normalmente, esse modelo tende a a ser rejeitado pela própria organização em pouco tempo. Inovar diz respeito a espaços de compartilhamento e colaboração propiciados por um cultura organizacional que busca melhorar de forma constante suas lógicas. Para ser realmente consistente, a inovação precisa da combinação de propósito, que orienta o mindset organizacional; alinhamento com objetivos estratégicos, que criam uma direção de como entregamos e, finalmente, da visão de trazer outras vozes na equação de cocriação.
4 – Lançar novos produtos ou serviços é inovar
Nem sempre lançamentos são inovadores. Em alguns momentos, podem ser apenas uma nova oferta. De fato, existe uma classificação famosa que se refere aos dez tipos de inovação nas empresas: Inovação de configuração (1- modelo de lucro, 2- network, 3- estrutura e 4- processos), Inovação em oferta (5- performance, 6-mix de vendas), Inovação em experiência (7- serviços, 8-canais; 9- marca e 10- customer engagement).
5 – Para inovar é preciso ter muito dinheiro
Quando se fala em inovação, muitos já pensam no investimento que deve ser necessário para colocá-la em prática, imaginando ser quantias exorbitantes. Claro, algumas práticas inovadoras demandam mais investimentos do que outras, mas muitas delas precisam apenas de uma mudança de pensamento que transforme a forma de fazer ou produzir algo. Para gerar mudanças, o investimento, nesse caso, é em capital humano, não em tecnologias caras. De fato, um paradoxo da inovação é que ela tem um cenário mais favorável durante as crises. A escassez de recursos faz a gente buscar alternativas melhores para criar impacto (ou solução) que esperamos com melhor utilização dos recursos que temos.
6 – A inovação é um talento
A inovação é um mindset, uma visão de que podemos intervir no futuro e fazer dele algo melhor. Para que uma empresa ou uma pessoa sejam inovadoras, é necessário juntar vozes diversas, ter espaços de troca e ajuste continuo, além de se perguntar de forma contínua quais são os motores da inovação e o porquê.

7 – Inovação é sobre tecnologia
Muitas vezes, a inovação envolve a tecnologia, mas não diz respeito só a ela. Pode ser o meio, mas não o fim. As possibilidades de mudança e transformação que a tecnologia proporciona, quando empregada, podem ser o caminho para traçar novos modelos inovadores, mas não significa que o resultado será necessariamente algo tecnológico.

8 – Inovação é ter criatividade
A criatividade faz parte do processo, mas a inovação não se resume a ela. Por meio de novas ideias, desenvolvidas criativamente, será possível testar meios diferentes e, inclusive, chegar a soluções que fracassam. São essas buscas continuas que levarão à verdadeira solução.
Sobre as sete verdades, destaco os tópicos abaixo:
1 – Inovação é uma transformação cultural
Para que a empresa seja inovadora, ela precisa transformar a cultura organizacional. Como foi dito, inovar não cabe apenas a um departamento ou pessoa específica, é uma ação para toda a companhia, que precisa passar a ter isso em seu DNA.
2 – Inovar depende do trabalho em equipe e de vozes diversas
É a união de ações do time e outros atores de fora, visando repensar tudo o que organização faz para alcançar mais competitividade, adaptabilidade e valor, que fará com que a empresa se torne inovadora. O trabalho em conjunto, especialmente escutando outras vozes com visões divergentes, é fundamental para inovar.
3 – Os resultados da inovação também são colhidos a longo prazo
A inovação tem que solucionar algum tema que não foi possível solucionar até o momento, e atingir novos resultados no presente, mas definitivamente tem que olhar para o futuro e continuar trazendo esse valor a longo prazo. A adaptabilidade, flexibilidade e empreendedorismo devem ser sempre os grandes motivadores.
4 – A inovação é constante
A aprendizagem será para sempre, é assim que se cria uma cultura de inovação. É preciso medir os resultados conforme for experimentando as novas ações para ver se elas funcionam e praticar um mindset de ajuste continuo . A inovação não é um processo com fim nela mesma, ela se reinventa o tempo todo.
5 – É necessária muita dedicação para inovar
Ter um insight que muda a forma de fazer algo exige dedicação e comprometimento. A inovação não acontece de uma hora para outra, ela requer curiosidade, que leva a buscar novo conhecimento, e profundidade para conectar a solução. Para mensurar seus verdadeiros efeitos, o processo de inovação exige comprometimento e protagonismo de toda a organização.
6 – A inovação permite expandir os negócios
O processo de design de novas soluções amplia o potencial de atuação da empresa e traz a possibilidade de expandir seus domínios para oceanos azuis, onde definitivamente o potencial de negócios é maior, ampliando a lucratividade.
7 – A inovação é capaz de melhorar a experiência dos colaboradores clientes e stakeholders
Achar uma forma de lidar e vencer desafios de maneira inovadora otimiza as experiências para todas as pessoas envolvidas neste contexto. A inovação pode resultar no ganho de tempo e de recursos, mas especialmente no ganho de valor, trazendo benefícios para todos os pontos da cadeia.
Se sua empresa ainda não enxerga a inovação como uma prática transformadora, esse é o momento de repensar. A mudança de mindset pode ter efeitos surpreendentes nos negócios e encantar cada vez mais os consumidores de seus serviços ou produtos, gerando, assim, mais valor para a companhia e garantindo a sobrevivência da empresa no longo prazo.

* Mary Ballesta é diretora Global de Inovação do Grupo Stefanini.

Tags

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Assuntos Relacionados