Brasília, 24 de Setembro de 2022 - 13:57

SEIS DICAS PRATICAS PARA COMPRAR COM SEGURANÇA NO natal

*Adriana Umeda, diretora executiva de Riscos da Visa

É muito comum a ação de fraudadores aumentar de forma expressiva em grandes eventos, quando a atenção de consumidores está voltada para datas importantes do varejo, como Black Friday, Cyber Monday e Natal. Por isso, para aproveitar melhor essas datas, preparei este artigo com dicas bem práticas para comprar com segurança e evitar tentativas de golpe, sobretudo no ambiente on-line.

Coloco o foco no e-commerce porque é um hábito de consumo que teve um salto importante nos últimos meses. Mesmo com a flexibilização das medidas restritivas, o volume das transações não presenciais aumentou muito, como nos mostram os dados da Abecs – Associação da indústria de pagamentos digitiais – do segundo trimestre deste ano: crescimento de 47% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Além disso, novas modalidades de pagamento, como as transferências rápidas e o pagamento por aproximação, surgiram como uma alternativa para movimentar dinheiro. E, naturalmente, muitas dúvidas dos consumidores aparecem a respeito de como usar tecnologias novas e se, de fato, elas são seguras.

Abaixo, listo algumas recomendações pensando nesse novo momento:

1. Não acredite em ofertas milagrosas. Apesar de ser uma época em que os produtos e serviços costumam aparecer com valores abaixo do normal, desconfie de ofertas que estão muito fora do padrão de preço. Elas podem ser uma tentativa de fraude. Por exemplo, uma viagem de avião aos Estados Unidos por 50 reais pode ser muito tentadora, mas será que é algo legítimo? Nesses casos, veja se o site que oferece o item é de seu conhecimento (saiba mais na dica a seguir).

2. Quem está por trás dessa oferta? No comércio digital, uma checagem rápida e simples da loja on-line antes de clicar em uma oferta pode evitar grandes dores de cabeça. Veja se a empresa tem uma URL conhecida, se possui um canal de atendimento – é um importante sinal de confiança -, se a empresa está bem ranqueada em órgãos de defesa do consumidor, como Procon, Reclame Aqui.

3. Cuidado com o famigerado phishing. Um dos golpes mais praticados pelos fraudadores na internet, o phishing acontece quando conteúdos maliciosos são usados para coletar informações de terceiros em e-mails e redes sociais. Por exemplo, um link que chega na sua caixa de entrada com uma oferta, supostamente de uma marca confiável, pode te direcionar para um cadastro falso. Dessa maneira, o fraudador pega seus dados e poderá usá-los mais tarde em uma compra futura. Fique atento para o ambiente para o qual você está sendo direcionado: se a página tem protocolos de segurança, como o "https" na URL ou se aparece o ícone do cadeado, que é um indicativo de ambiente criptografado.

4. Nem toda rede de wi-fi é tão segura. Se for realizar uma compra pela internet, tome cuidado com a rede de conexão que está sendo usada. Dê preferência para o wi-fi que você tem em casa, que é privado e protegido por uma senha. Redes públicas podem ser uma porta de entrada para que um fraudador instale um vírus dentro do provedor a fim de coletar informações que vão trafegar por ali. Quando estiver fora de casa, usar os dados móveis para uma transação é mais recomendável.

5. É seguro comprar com Pix? Com uma grande parcela da população fazendo uso pela primeira vez de um sistema novo de pagamento, é natural que a atenção dos fraudadores se volte também para esse sistema. O sistema é seguro, mas vale ter alguns cuidados: você pode junto a seu banco ajustar seu limite de transferência e trabalhar com limites diários menores, que estejam dentro das suas necessidades. Outra dica é usar uma chave aleatória no momento da compra, já que você evita compartilhar seus dados pessoais.

6. E o pagamento por aproximação? Pagar por aproximação é tão seguro quanto fazer uma transação com chip de contato. Na Visa, por exemplo, usamos uma tecnologia baseada no padrão internacional EMV, que segue rigorosos protocolos de segurança e conta com funcionalidades como monitoramento em tempo real e restrição de leitura de dados no momento da transação, entre outras camadas de proteção. Quando você usa um cartão físico, ele precisa estar a 4 centímetros (uma distância muito curta!) do terminal de pagamentos para efetivar a comunicação. E quando usamos a carteira digital temos ainda mais um camada de proteção: é preciso uma autenticação do portador, por meio de senha, biometria ou padrões, para realizar a transação.

Olhe para o fim do ano como uma boa oportunidade de consumo, mas não se descuide da segurança. Muitas vezes, uma simples checagem, como vimos acima, pode evitar uma fraude. Lembre-se que as novas tecnologias e ferramentas de compra estão aí para ajudar, tornar nossa vida mais fácil e conveniente. Para fazer o melhor uso delas, no entanto, precisamos tomar algumas precauções.
Aproveite e boas festas!

Tags

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Assuntos Relacionados