Brasília, 31 de Janeiro de 2023 - 3:51

JORNALISTA LUIZ ORLANDO CARNEIRO MORRE AOS 84

Morre em Brasília, aos 84 anos, o jornalista Luiz Orlando Carneiro. Ex-diretor da Sucursal do antigo Jornal do Brasil, também era saudado como grande especialista, entre os maiores críticos no mundo do jazz. Fez coberturas no Itamaraty mas, formado em Direito, tornou-se referência na área jurídica, em particular cobrindo o Supremo Tribunal Federal (STF). Era estimado por todos os ministros do Supremo, como a presidente do STF Rosa Weber, que lamentou a partida:

“Com tristeza, manifesto sinceros sentimentos pela perda do excepcional jornalista Luiz Orlando Carneiro. Retratou o Supremo Tribunal Federal diariamente por quase três décadas, sempre com respeito à Corte e seus integrantes, levando a informação correta aos brasileiros. Em nome da Suprema Corte, registro que o jornalismo perde uma grande referência e um profissional que sempre será exemplo para as próximas gerações”, disse Weber.

Os ministros Luiz Fux, André Mendonça, Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Nunes Marques, Gilmar Menes, Dias Toffoli e Luis Roberto barroso, também prestaram homenagem ao jornalista.

Chefe e amigo

Muito querido e amigo do titular desse site, Fernando Vasconcelos escreveu:

“Amizade fica registrada no coração. Uma impressão subjetiva, mas que pode ser traduzida
como tatuagem na alma: sempre reflete lembranças, que são eternas! Meu ex-chefe e amigo
Luiz Orlando, será sempre lembrado. Foi um apaixonado pela vida, pela família, pelo jornalismo e pelo jazz. Assim viveu Luiz Orlando. Dono de uma energia incomparável, entregou-se de corpo e alma à profissão que viveu e essa entrega, prazerosa, conseguiu passar para familiares e colaboradores que
trabalharam ao seu lado. Eu fui um deles. Por tudo isso o LO – esse profissional apaixonado pela profissão é apaixonante, cativou pessoas, profissionais e amigos. Nós tivemos um caso de amizade”.

Gigante

Luiz O, como era chamado entre os amigos e colegas de profissão, trabalhou até o fim de 2022 no portal Jota, onde também tinha a tarefa de traduzir para o grande público o juridiquês das decisões dos tribunais superiores.

De estatura pequena, mas de uma elegância, educação e delicadeza que o agigantavam, Luiz O nasceu no Rio de Janeiro em 1938, e mudou-se para Brasília em 1979.

Era um amante do jazz, com vasto conhecimento sobre o tema. Em 1965, participou da fundação do Clube de Jazz e Bossa com Jorge Guinle, Ricardo Cravo Albin, Ary Vasconcelos, Sérgio Porto, Vinicius de Moraes e Tom Jobim. Publicou livros e retratou em desenhos sua paixão jazzística em várias telas, com técnicas de colagem e giz de cera.

Luiz Orlando deixa 4 filhos, 5 netos e 2 bisnetos. Seu sepultamento ocorrera no próximo sábado 14/01 no Templo Ecumênico Campo da Esperança em Brasília-DF.

Tags

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Assuntos Relacionados