Brasília, 29 de Setembro de 2022 - 7:23

Pesquisa mostra certo otimismo, mas agências temem fechar com a pandemia

 Apesar do cenário de muita incerteza e pessimismo, com o advento da Covid-19 e suas consequências para os terrenos em 2020, a percepção atual é a de que quase a metade das agências de propaganda conseguiu se adaptar, ou encontrar um caminho de adaptação à nova realidade do mercado. Mas, algumas, ainda enfrentam grandes dificuldades, e seus proprietários até pensam em fechar.

Esse quadro está na 3ª edição da pesquisa VanPro, pelo realizada pelo sistema Sinapros-Fenapro (Federação Nacional das Agências de Propaganda). Concluída em março deste ano, foram sondadas 320 empresas, em 22 estados e o Distrito Federal, sobre efeitos da pandemia.

Entre as entrevistadas, 47% informaram que já se recuperaram ou estão em vias de se recuperar ainda este ano, sendo que 26% não tiveram redução de receita em 2020, e 21% foram impactadas, mas avaliam com muito otimismo o cenário atual. E esperam recuperação antes de dezembro.

"O otimismo aumentou consideravelmente entre as agências que participaram desta última edição do VanPro, concluída em março deste ano, comparativamente à penúltima edição de setembro de 2020. Constatamos que 50% das agências avaliam o cenário como positivo, em comparação a 41% em setembro e 16% em maio", comenta Daniel Queiroz, presidente Fenapro.

As agências que avaliam as perspectivas como boas são 33%, comparativamente a 13% na pesquisa anterior. E os que preveem estabilidade representam 34%.Contudo, a pesquisa mostra que 41% indicaram que, embora as perspectivas sejam boas, a recuperação deve vir somente a partir de 2022.

O cenário mais preocupante é visto por 12% das que se  encontram em grandes dificuldades, avaliando que as perspectivas são ruins, e até a possibilidade de interrupção das atividades.

Do ponto de vista financeiro, houve um ajuste na avaliação dos impactos financeiros causados pela pandemia sobre as empresas. Na pesquisa de maio, apenas 7% haviam mantido ou aumentaram o faturamento. Em setembro, o número subiu para 33%, e, em março, situou-se em 26%.

Na pesquisa de setembro, a captação de recursos foi a principal dificuldade das empresas, seguida por lugar de relevância junto ao cliente, gestão de equipe e gestão financeira. Nesta nova pesquisa, a gestão de equipe vem em primeiro lugar (25%), seguida de gestão financeira (23%), relevância junto aos clientes (21%) e captação de recursos (19%).

Com relação às demissões, 39% das empresas reduziram seus quadros em até 30% e 36% mantiveram o número de colaboradores.

Perfil das agências entrevistadas:
O perfil predominante dos participantes da sondagem VanPro é de agências full-service (95%), com equipe de até 20 pessoas (64%). A maioria das empresas têm mais de 20 anos de existência (40%) ou entre 11 e 20 anos (38%). Mais de 87% delas são associadas ao Sinapro, e mais de 69% ao CENP.

Cerca de 40% têm faturamento de até R$ 1 milhão; 29% têm receita anual entre R$ 1 milhão e R$ 3 milhões; 11%, entre R$ 3 milhões e R$ 5 milhões, e perto de 10% têm receita de R$ 5 milhões a R$ 10 milhões. Empresas com receita anual superior a R$ 10 milhões também representam 10% das pesquisadas.

Para a pesquisa acesse: vanpro_final2020 

Tags

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Assuntos Relacionados