Brasília, 03 de Dezembro de 2022 - 1:51

OS VERDADEIROS DONOS DOS PODCASTS

*Por Antoninho Rossini -Escritor e jornalista
O podcast, dentre as ferramentas de comunicação moderna que prometiam dar vez e voz para muitas pessoas, focando temas que antes não encontravam espaço nos veículos como emissoras de TV, rádio, jornais e revistas está mudando de rumo. Quando começou a despontar nos anos de 2010, o podcast parecia ser uma descoberta revolucionária, extremamente democrática. Profissionais de comunicação jubilados em seus empregos, assim como qualquer cidadão que se considerava possuidor de algo para informar, alertar, aconselhar poderia ganhar seu espaço, longe de cumprir pautas ou ordens desordeiras.

As produtoras de som se equiparam para receber essa demanda, inicialmente bem robusta. Com o passar dos anos, especialmente no auge da pandemia, esses interessados foram se afastando e deixando de ter seus podcasts. Parece que houve uma debandada geral de ouvintes-seguidores visto que os índices de audiência caíram drasticamente. A hipótese mais plausível para este caso seria o surgimento maciço dos chamados “influencers”, que usam ferramentas similares, partem com patrocínio e linguagens mais ao gosto do intelecto das pessoas de hoje. Outra possibilidade a ser considerada vislumbra que o meio podcast passou a ter mais do mesmo – em outras palavras, tornou-se banalizado. Nos últimos meses programas via podcast de comunicadores independentes deixaram de exercer interesse e estão caindo no esquecimento.

Numa análise mais atenta, verdadeira e determinante foi a entrada com força total dos tradicionais veículos de comunicação nesse mesmo nicho. Faz todo o sentido visto que esses veículos, com mais essa ferramenta, podem ampliar seu raio de ação a custo beirando ao “zero”. Seus comunicadores já estão disponíveis no dia a dia. Mais ainda: contam com o poder das ondas do rádio, das televisões e sites para anunciar seus próprios programas de podcast sem pagar nada por isso. A se conferir diante de argumentos mais robustos, resume-se que o podcast tem dono, ou seja, os mesmos veículos de comunicação já conhecidos. Não se pode negar a importância legal dessa nova e moderna alternativa de comunicação. Também não há como inibir essa ação tão dinâmica quanto o surgimento de novas tecnologias a cada instante.

Os interessados em entrar na faixa do podcast para trabalhar e receber algum dinheiro devem ficar cientes que a vida não será fácil. Só os talentos (ou gênios) ainda não revelados poderão ter alguma chance de sucesso.

Tags

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Assuntos Relacionados