Brasília, 29 de Setembro de 2022 - 1:42

BB TEM CAMPANHA PARA O DIA NACIONAL DOS SURDOS

Setembro é um mês importante para a comunidade de pessoas surdas no Brasil. E o BB, em campanha assinada pela Lew’Lara\TBWA e consultoria especializada da Turma do Jiló, se engaja nas celebrações do dia nacional (26/9) e semana Internacional dos surdos (20 a 26/9), dando visibilidade ao tema. O filme da nova campanha é composto 100% por pessoas surdas e estreia nesta quarta-feira, 21.  

De acordo com dados do último censo do IBGE, mais de 10 milhões de pessoas são surdas no Brasil. “É um público que costuma ser coadjuvante nas comunicações institucionais das marcas e a nova campanha do BB os traz como protagonistas que são. Normalmente, eles precisam ficar olhando um quadradinho na tela para acompanhar as interpretações em libras. Agora, somos nós que precisamos ler a legenda. A campanha traz essa experiência, em um exercício de empatia bem interessante“, afirma Paula Sayão, diretora de marketing e comunicação do Banco do Brasil.  

O filme destaca que, assim como todo mundo, essas pessoas possuem um filme favorito, trabalham, ganham dinheiro e precisam de um banco, daqueles para tudo que você imaginar. “E é pensando nisso que o BB aproveita este importante período de celebrações das conquistas da comunidade de pessoas surdas, para comunicar seu amplo atendimento em libras como forma de estar sempre próximo e relevante para os clientes em todos os momentos de suas vidas“, ressalta Paula. 

Toda a comunicação, que contou com consultoria e orientação técnica da Turma do Jiló – organização da sociedade civil que é um ecossistema de ações inclusivas voltadas a pessoas com deficiência, tem suas práticas reconhecidas pelo pacto Global da ONU no Brasil e é uma finalista do Prêmio Empreendedor Social do ano de 2022 na categoria Direitos Humanos – foi feita em cocriação com os atores, surdos, para que pudesse retratar genuinamente a comunidade. A produção retrata a língua de sinais como uma expressão artística, por sua característica predominantemente visual e espacial, simbolizada na campanha pela dança. Os bailarinos são surdos, ou possuem alguma deficiência auditiva, e o balé é sincronizado, e esteticamente pensado com música produzida, para que possam sentir a vibração e dançar.  

Nossa profissão ganha mais sentido quando consegue mexer de verdade com a sociedade, mudando hábitos e apontando novos caminhos. Esse projeto do Banco do Brasil faz isso. Um serviço pioneiro que a gente comunica de uma forma inovadora, artística, fazendo uma relação delicada da dança com a língua de sinais. E que mostra a força e importância dessas pessoas em nossa sociedade ao mesmo tempo em que as incluímos ainda mais na nossa indústria”, comenta Rodrigo Tortima, diretor executivo de criação da Lew’Lara\TBWA. 

Elenco com lugar de fala (em Libras!) 

A escolha do elenco buscou representar a diversidade das pessoas surdas que se comunicam por Libras e oralizados; que usam implante coclear, aparelho auditivo ou fazem leitura labial – e também demonstrar a interseccionalidade etária, estética, de gênero, raças e etnias. “Não existe meia inclusão, quando se ‘inclui’ um grupo e exclui outro. Por isso, buscamos durante todo o processo de criação e execução da campanha, trazer visibilidade a vários grupos da diversidade e garantir acessibilidade da campanha para as pessoas com ou sem deficiência”, comenta Carolina Videira, da Turma do Jiló, que trouxe a perspectiva da educação inclusiva para todas as etapas do desenvolvimento da campanha.  

O período de veiculação foi estrategicamente escolhido, pensado para ganhar o Brasil em mídia massiva na quinzena que mais representa as lutas e conquistas dessa comunidade: semana Internacional dos Surdos, Dia Nacional dos Surdos, além ainda do Dia Mundial das Línguas Gestuais (21/09) e Dia Internacional da Língua de Sinais (23/09). O filme, em versão de 90, 60 e 30 segundos, conta com veiculação nacional em TV aberta, além de exibição nos cinemas e redes sociais do BB. 

Nas redes sociais, o BB também promoveu a alteração do avatar em seus perfis, de modo temporário, chamando a atenção pela causa. A marca do BB, no grafema reconhecido, foi substituída pelo sinal de Libras que significa “Banco do Brasil”.


Atendimento especializado  

De maio até agosto deste ano, o Banco do Brasil registrou 2,5 mil chamadas em Libras presencialmente ou de forma remota. O Banco do Brasil foi a primeira instituição financeira a promover o atendimento amplo em Libras nas suas agências, CRBB, SAC e Ouvidoria. Os clientes surdos contam com intérpretes simultâneos no atendimento presencial e por chamada de vídeo no atendimento remoto via central especializada. Nas agências, a chamada é iniciada pelo funcionário do BB, enquanto pelo App ou site do Banco, o cliente pode iniciar uma chamada de vídeo com um intérprete, que por meio de uma linha exclusiva com o BB, traduz o atendimento da Central de Relacionamento BB, SAC e Ouvidoria. 

A iniciativa reforça as ações de inclusão de diversos públicos nos modelos de atendimento do Banco, com a possibilidade de sua maior inserção no mercado financeiro, e considera as barreiras ainda enfrentadas pela comunidade surda. Em parceria com o Icom, serviço de referência no mercado em tradução para pessoas surdas, o BB oferece atendimento em Libras, leitura labial ou texto, a qualquer hora e em qualquer dia, para todas as pessoas que precisem de acessibilidade. Para o BB, acessibilidade é regra. A iniciativa está alinhada aos 10 Compromissos em Sustentabilidade assumidos pelo Banco em 2021, que reforçam o papel transformador na sociedade e envolvem objetivos de longo prazo em negócios sustentáveis, investimento responsável e em gestão ASG (sigla para Ambiental, Social e Governança), com metas a serem implementadas até 2030. 

Crédito acessibilidade no BB 

O Banco do Brasil já desembolsou R$ 824,2 milhões pelo BB Crédito Acessibilidade desde 2012, quando a linha foi criada. Foram atendidas, com esses recursos, mais de 100 mil pessoas em todo o país. Apenas em 2022, já foram contratadas mais de 6,8 mil operações, num total de R$ 77,7 milhões. Com a linha de crédito, o Banco do Brasil reforça sua condição de agente de desenvolvimento sustentável do país e seu compromisso em promover a cidadania e o fortalecimento da participação da pessoa com deficiência na sociedade. A opção de financiamento conta agora com encargos que variam de 6,0% (para mutuários com renda mensal de até 5 salários-mínimos) a 7,5% ao ano (para mutuários com renda mensal de 5 a 10 salários mínimos). O limite de financiamento é de R$ 30 mil e o prazo de pagamento pode chegar a 60 meses. Os interessados no crédito podem procurar a rede de agência do BB já nesta quarta-feira (17 de agosto). O crédito do BB financia itens como cadeiras de rodas, aparelhos auditivos, órteses, próteses, andadores, adaptações em imóvel residencial, entre outros produtos de tecnologia assistiva. 

FICHA TÉCNICA BB – ACESSIBILIDADE

Título: Somos 10 milhões

Agência: LEW’LARA\TBWA

Cliente: Banco do Brasil

Produto: Atendimento em Libras

CEO: Marcia Esteves

CCO: André Gola

Direção Executiva de Criação: Rodrigo Tortima

Direção de Criação: Rodrigo Tortima

Direção de Arte: Natália Calvoso

Redação: Polyana Bandeira e Paulo Mello

Managing Director: Duda Guedes

Negócios: Daniela Rios e Janaina Bourguignon

CSO: Raquel Messias

Estratégia: Bruno Lobo, Hugo Costa, Yasmin Dias, Giovanna Molinari e Daniel Gizo

CMDO: Vicente Varela

Mídia: Luisa Sotero, Marco Marques, Anderson Cabral, Barbara Souza.

BI: Luisa Sotero, Fernanda Gamarski

CCOO: Elise Passamani

Operações: Fran David

Projetos: César Matias e Ana Gaudêncio

Consultoria e orientação técnica em Inclusão da Diversidade: Turma do Jiló

Carolina Videira, Leonora Novaes, Laura Bruscagin, Marinalva Cruz e Talita Messias

Produção de RTV: Izabel Soares e Wilza Godoy

Produção Gráfica: Rodrigo Giammarino, Juliano Oliveira e Simone Camacho

Produtora de Filme: Boiler Filmes

Direção: Liv Stacciarini

Direção de Fotografia: Gabril Bianchini

Direção (2ª unidade): Nico Matteis

Direção de Fotografia (2ª unidade): Nico Mateis

Produção Executiva: Juliana Martellotta

Direção de Arte: Jaque Ramieli

Produção de Arte: Livia Blues

Atendimento: Larissa Perrotta, Jess Thomaz e Ana Ocampos

Coordenação de Produção: Juliana Sugolo, Stefanie Korb, Cintia Mantero e Michel Nogueira

Assistência de Direção: Bruno Galvão, Marcelo Selingardi e Larissa Andrade

Figurino: Giovana Moretto

Make: Roger Ferrari

Produção: Guilherme Valiengo e Lucas Gregório Branco

Cenografia: Gabb Cabo Verde

Montagem: Nico Matteis

Coordenação de Pós-Produção: Ricardo Quintela

Finalização: Rafael Barão e João Brusk

Pós-Produção: FLOW EFFECTS

Color Granding: Acauan Pastore

Produtora de Som: Satelite Audio.

Direção Musical: Roberto Coelho, Kito Siqueira e Hurso Ambrifi.

Atendimento: Fernanda Costa, Renata Schincariol e Daniel Chasin.

Produção Musical: Roberto Coelho, Hurso Ambrifi, Thiago Colli, Mike Vlcek, Charly Coombes, Koitty e Lucas Carvalho.

Finalização: Carla Cornea, Vithor Moraes, Ian Sierra, Arthur Dossa, Renan Marques.

Assistente de Finalização: Alexandre Avicena.

Coordenação de Produção: Camila Guedes, Letícia Oliveira, Bea Vieira, Bruna Isidore e João Piccoli.

Aprovação Cliente: Paula Sayão, Ana Carolina Castro, Elvis K. Figueiredo, Rafael Prandina, Thais Berenice Oliveira, Camila Caldeira.

Tags

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Assuntos Relacionados